• Bruna Diniz

Como adicionei a leitura na rotina e li muito mais em 2016

Eu adoro ler. Vou na livraria e fico maluca querendo levar todos. Então você pode imaginar que a leitura era o que mais me fazia falta quando minha rotina era caótica e drenava toda minha energia, né? Eu tentava comprar um livro e outro, mas acabavam na estante esperando o momento certo. E até nos finais de semana eu estava sem energia. Me entende?


Quando optei por home office quis adicionar na rotina tudo o que eu sentia falta. É claro que não consegui colocar tudo e que no começo nem foi tão fácil assim. Em 2015, por exemplo, li mais livros que em 2014, sem dúvidas, mas não tantos quanto em 2016. Embora não tenha terminado de ler todos os que comprei pra esse ano, estou bem satisfeita com o resultado.


Mas veja que adicionar a leitura na rotina nem sempre é simples. No meu caso, por exemplo, precisei quebrar a crença de que leitura era só descanso e diversão. Como os livros relacionados ao meu trabalho são assuntos que leio por puro entretenimento, fica difícil encarar como estudo para o desenvolvimento do meu negócio. A partir do momento que defini que todos os livros de negócios deveriam entrar na minha rotina de trabalho – isso aí, com hora pra sentar e ler como se fosse uma atividade como responder emails de cliente -, comecei a ler muito mais e, consequentemente, ter um impacto maior no meu trabalho.


Com essa nova rotina consegui balancear os tipos de leitura – nem só negócios, empreendedorismo e desenvolvimento pessoal, mas também títulos de lazer. O bom e velho equilíbrio, mesmo que não seja em quantidade. Se você, assim como eu, gosta desse equilíbrio e está precisando incluir a leitura no dia a dia, separe suas leituras em estudo e lazer – afinal, um momento de descanso não é só feito de TV e um trabalho não é só feito de execução, certo? Então sim, dá pra equilibrar e pra te mostrar isso, compartilho os 24 títulos que li nesse ano.


16 títulos relacionados ao meu trabalho

Você vai ver que nem todos tem uma relação direta com produtividade, organização, tempo, consultoria ou blog. Cada um deles me ajudou em um ou mais pontos dos meus projetos e, às vezes, de forma abrangente, vendo o todo ao invés de um pedaço específico.

  1. Criativo e empreendedor, sim senhor – Rafa Cappai

  2. A arte da não conformidade – Chris Guillebeau

  3. Produtividade máxima – Tamara Schwambach Kano Myles

  4. Roube como um artista – Austin Kleon

  5. A arte da procrastinação – John Perry

  6. Grande magia – Elizabeth Gilbert

  7. Como encontrar o trabalho da sua vida (The School of Life) – Roman Krznaric

  8. Vai fundo! – Gary Vaynerchuk

  9. As leis invisíveis do dinheiro – Ricardo Melo

  10. A tríade do tempo – Christian Barbosa

  11. Show your work! – Austin Kleon

  12. Como se preocupar menos com dinheiro (The School of Life) – John Armstrong

  13. Pense como um artista – Will Gompertz

  14. O segredo do talento – Daniel Coyle

  15. O ponto de equilíbrio – Christine Carter

  16. Gerir na era digital – Nuno Ribeiro

Alguns já tem resenhas aqui no blog (os que estão com link no título) e outros ainda pretendo fazer. Alguns devorei em uma manhã, como foi o caso da Arte da Procrastinação, e outros demorei tanto tempo que quebrou minha rotina de leitura. É nesses momentos que a gente aprende o que Austin Kleon ensina em sua fanpage no Facebook:



Eu não vou terminar livros que eu não gosto. – Austin Kleon


8 livros que descansaram minha mente

  1. Percy Jackson e o último olimpiano – Rick Riordan

  2. O restaurante no fim do universo – Douglas Adams

  3. Harry Potter e a pedra filosofal – J.K. Rowling

  4. Harry Potter e a câmara secreta – J.K. Rowling

  5. Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban – J.K. Rowling

  6. Harry Potter e o cálice de fogo – J.K. Rowling

  7. Harry Potter and the cursed child – J.K. Rowling

  8. Harry Potter e a ordem de fênix – J.K. Rowling

O bom de você ter livros de lazer é quebrar a rotina e ter um momento para relaxar a cabeça. É raro eu ler livros de negócios a noite, porque já estou cansada – um exemplo disso é o Criando o trabalho que você ama do Rick Jarow que tem uma leitura mais densa e acabo dormindo na segunda página e não lembrando nada depois.

Esse ano consegui, finalmente, terminar a série do Rick Riordan que não está nos meus favoritos, mas posso dizer que terminei. :P Harry Potter é releitura que costumava ser anual e acabou se perdendo; já estou pra lá da metade do sexto livro e pretendo terminar a coleção ainda esse ano – será?

Pra 2017 ainda me esperam 80 títulos (até agora, porque só aumenta, né?) relacionados ao meu trabalho! Gostaria muito de dar conta de todos eles, mas, sendo bem realista, são muitos pra um ano só. :P Em todo caso, quero aprender, de verdade, a deixar de lado livros que não gosto – confesso que tenho mania de terminar mesmo aqueles que acho super chatos.


Mas e você, hein? Quais os livros que leu em 2016? Queria adicionar mais a leitura na sua rotina? Aproveita e me diz também qual desses livros de negócios você que ver resenha aqui no blog. :D E, claro, se tiver alguma indicação de livro, deixa aí nos comentários!

Quem é cheio dos compromissos sabe o quanto pode ser difícil gerenciar uma agenda. A gente até pode ser old school e manter tudo na agenda física, mas eu queria mesmo é te mostrar como uma Vida Sem Pa

Agenda de contatos é uma coisa que temos desde sempre, cada um do seu jeitinho. Antes era mais comum termos alguns números decorados, mas nos dias de hoje a agenda de contatos é essencial. Eu tinha ag